Começo esse review afirmando e sem medo de errar que “Reúnam-se! Os Sete Guerreiros Deuses”, quarto capítulo de Cavaleiros do Zodíaco: Alma de Ouro, foi o melhor episódio até aqui.

Equilibrando bem as doses de ação e drama, o episódio joga nova luz na mitologia de Saint Seiya ao mostrar por um angulo inédito as personalidades de Máscara da Morte e Afrodite, aqueles que sempre foram tidos como os Cavaleiros de Ouro menos importantes, considerados os mais fracos e marginalizados pelos fãs.

mdm dinheiro

Máscara da Morte dá todo o dinheiro que ganha no jogo para Helena cuidar dos irmãos.

Pode-se dizer que o capítulo é dedicado ao Cavaleiro de Câncer, que pela primeira vez nesses quase trinta anos de franquia demostrou alguma bondade.
Em “Reúnam-se! Os Sete Guerreiros Deuses”, é revelado que o sádico cavaleiro ajuda secretamente a família de Helena, a feirante adoecida, doando todo o dinheiro que vem ganhando nos jogos de cartas na taberna de Asgard. No entanto, a garota é levada pelo Guerreiro Deus Fafner de Nidhogg para “tratar” da doença.

Ao saber do ocorrido, Máscara da Morte que já estava desconfiado do sumiço repentino dos moradores da vila, vai atrás de Helena.

afrodite

Afrodite se mostra mais poderoso que o Guerreiro Deus

É então que Afrodite entra em cena. Usando o dom de entender as flores, o Cavaleiro de Peixes se antecipa e vai ao encontro de Fafner e sem muito esforço logo subjuga o Guerreiro Deus. Apesar de ser um combate rápido, vemos um Afrodite usando técnicas novas e com uma postura muito mais imponente do que em outras aparições.

Além das particularidades dos dois Cavaleiros de Ouro, finalmente a trama nos revela mais alguns detalhes sobre Andreas, o atual governante de Asgard, que impede Afrodite de derrotar definitivamente Fafner. O soberano de Asgard derrota facilmente o Cavaleiro de Peixes usando uma técnica muito parecida com a Unidade da Natureza de Alberich de Megrez.

afrodite derrotado por andreas

Após salvar Helena, Afrodite é derrotado por Andreas

Máscara da Morte chega ao local a tempo de ver Afrodite salvar Helena e em seguida ser derrotado. Antes de começar o combate contra o Andreas, os olhos mais atentos perceberão que o Cavaleiro demostra uma certa preocupação por se considerar indigno de vestir novamente a armadura de Câncer. Essa minúcia mostra que realmente há uma preocupação em humanizar o Máscara da Morte, o que me agradou bastante.

Durante o combate, o Cavaleiro desperta parte de sua armadura divina, mas não é capaz de derrotar Andreas que deixa a batalha com um ar de satisfação por ver com os próprios olhos o poder dos defensores de Athena e leva Afrodite para Yggdrasil.

Balder de Hraesvelgr

Balder de Hraesvelgr

O episódio também foi usado para apresentar os Guerreiros Deuses que ainda não haviam aparecido até então. Balder de Hraesvelgr, conhecido como o guerreiro Deus imortal, e de Utgard de Garm, que ninguém conhece a verdadeira identidade.

Esse mistério que fizeram em torno da identidade do Guerreiro Deus de Garm é o tipo de carta que Saint Seiya gosta de deixar na manga para usar mais para frente. Por isso, a primeira coisa que pensei foi que por traz da máscara pode estar escondido o Kanon.

Utgardar de Garm

Utgardar de Garm

Apesar de finalmente terem acertado em um capítulo, alguns cacos ainda ficaram pelo caminho. O posicionamento de Camus na trama continua me incomodando, mas durante uma conversa entre Milo e Saga tive a sensação de que isso pode ser uma estratégia do Cavaleiro de Aquário para chegar até Yggdrasil.

Lyfia é outra incógnita que o anime ainda não explorou e mais uma vez o comportamento estranho da personagem ficou na ar. Outro problema que se repete é o desleixo com os traços em algumas cenas, especialmente com os personagens que ficam em plano de fundo. Fora esses detalhes, o anime começa a me agradar um pouco mais. Agora é torcer para que mantenham esse ritmo.