Pior que um apocalipse zumbi

A franquia Resident Evil nos cinemas começou em 2002 e, desde então, exige que o telespectador entre em uma sintonia específica para aproveitar seus filmes. Com poucas referências a trama dos videogames, os cinco longas anteriores estrelados por Milla Jovovich conseguem divertir – uns mais ou menos – com cenas de ação exageradas e violentas.

Escrito e dirigido por Paul W.S. Anderson, que também comandou o primeiro, o quarto e o quinto filme da saga, Resident Evil 6: O Capítulo Final falha miseravelmente em até mesmo repetir os êxitos de seus “irmãos”.

Alice (Milla Jovovich) volta a Colmeia em Raccoon City

Alice (Milla Jovovich) volta a Colmeia em Raccoon City

A edição de Doobie White é o principal defeito de RE6. Os cortes frenéticos que fariam inveja a qualquer filme dos Transformers e aos clipes da MTV deixam as cenas de ação quase incompreensíveis. Quando um simples chute de Alice (Milla Jovovich) tem mais de dois cortes, fica impossível se conectar com qualquer coisa que acontece na tela.  A câmera se acalma apenas quando o volume da trilha sonora cai, preparando cenário para um previsível susto.

O exagero também prejudica o longa. Personagens e situações são colocadas entre Alice e a Colmeia da Umbrella Corporation, em Raccoon City, apenas para o filme ganhar tempo.

Dr. Alexander Isaacs, interpretado por Iain Glen, o Jorah Mormont de Game of Thrones, torna-se o “cara mau” da saga, transformando outros vilões clássicos retirados dos games em coadjuvantes dispensáveis. Com grande tempo de tela, Isaacs toma atitudes incompreensíveis para um cientista.

Dr. Isaac (Iain Glen) é a grande ameaça de Resident Evil 6

Dr. Isaac (Iain Glen) é a grande ameaça de Resident Evil 6

Se fosse uma homenagem a si mesmo, com a protagonista retornando ao cenário do primeiro capítulo, Resident Evil 6 poderia adotar novamente a estrutura de videogame, como é feito no quinto filme. Alice enfrentaria adversários cada vez mais difíceis em salas da Colmeia até confrontar o vilão (chefe) final. Com objetividade e um pouco de nostalgia, o resultado seria melhor.

Há também uma ideia aceitável no longa envolvendo Alice, mas talvez por subestimar a própria personagem ou a consideração da audiência por ela, o plot não tenha recebido a atenção que deveria.

A Rainha Vermelha retorna

A Rainha Vermelha retorna

Para fechar a saga de Alice, Paul W.S. Anderson escolheu complicar uma história que agradou em alguns momentos por sua simplicidade. As cenas de ação, outro ponto forte dos filmes, tiveram suas cabeças cortadas por uma edição que talvez apenas o Flash, herói da DC, conseguiria acompanhar.

A aventura de Alice termina de maneira melancólica. Depois de sobreviver a tantos zumbis e enfrentar uma corporação maligna por anos, a personagem de Milla Jovovich foi derrubada por um filme ruim.  Como um vírus implacável que destrói histórias no cinema, Resident Evil 6: O Capítulo Final é o pior filme da franquia.

Leia mais sobre Cinema