Hoje, 22, estreia nos EUA a segunda temporada de The 100, considerado por muitos e inclusive por mim uma das surpresas da última midseason americana. Digo isso porque, mesmo com a interessante temática pós-apocalíptica, a série carregava o estigma de ser uma produção da CW. Algo que já afasta o telespectador que busca algo mais maduro.

No entanto, apesar dessa essência juvenil que as séries do canal carregam, The 100 conseguiu desenvolver a trama com bastante fluidez, tornando em alguns momentos os discursos mais maduros do que se esperava. Claro, se comparada as demais séries da CW.

Ainda que a série tenha se apegado em alguns clichês e passa uma sensação de que tudo acontece em um universo amálgama de Lost, Mad Max e Battlestar Galactica, guardando muito bem as devidas proporções, dá para curtir bastante o show. Ah, mesmo que os três primeiros capítulos te cansem, tenha paciência, fé e um pouco de boa vontade que as coisas começam a melhorar.

Já a segunda temporada, começa com a responsabilidade de segurar a audiência que manteve média de aproximadamente 2 milhões de espectadores, principalmente após ter deixado o intrigante plot twist nos últimos minutos da season finale na temporada passada.

Se isso for trabalhado com o cuidado necessário e no ritmo certo, The 100 pode se tornar uma boa opção de entretenimento.

http://youtu.be/dnnCjRAWGaE